segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pré Amplificador VTL TL-5

Olá meus amigos!

Já postamos anteriormente a primeira parte desta série, sobre a restauração dos Amplificadores VTL MB-225. Agora vamos falar sobre o restauro do Pré VTL TL-5, do mesmo conjunto dos amplificadores.

Recebemos este Pré "funcionando" (palavras de nosso cliente), mas necessitando de uma revisão. Este pré é dividido em duas unidades: uma unidade de fonte e outra de áudio, interconectadas por dois cabos multi-vias, um para cada canal. Apesar de estar 'funcionando', um defeito já era evidente até mesmo para o proprietário: não havia aterramento comum entre as duas unidades, e o proprietário acabou improvisando um fio que conectava o chassi da fonte ao da seção de amplificação. Quando soube disso, antes dos prés chegarem, não entendi bem porque faltaria um aterramento, já que estes prés também já haviam passado por revisão nas mãos de outra pessoa. Mais uma vez nos preocupamos... será que eles estariam como os dois monoblocos, com necessidade de retrabalho? Vamos descobrir ;)

Primeiramente abrimos a fonte para uma análise visual. Nunca ligamos os aparelhos antes de desmontá-los, pois mesmo com o relato de funcionamento parcial do proprietário é difícil saber se o aparelho está em reais condições de operação. Sempre abrimos, avaliamos visualmente, fazemos alguns testes básicos e só depois procedemos a uma ligação gradual com uso de um Variac.

A inspeção visual

Iniciamos nossa avaliação pelo chassi de fonte. Este pré nem conseguiu ser aprovado nesta primeira etapa! Abrimos o aparelho e, só de olhar, já sabíamos que era 100% inseguro operá-lo nas condições em que foi recebido... veja quantos problemas foram identificados em uma rápida inspeção:


Estado da fonte ao ser aberta


Primeiramente, existiam capacitores soltos internamente, apenas 'amarrados' pelos terminais. Quem trabalhou antes nestes prés ficou com preguiça de soldar os componentes! Sim, preguiça de soldar, ou então ele nem mesmo tinha um ferro de solda (prefiro não acreditar que seja este o caso...)! Ao que tudo indica, decidiu pegar fios, enrolar ao redor dos terminais dos capacitores e deixá-los soltos, enrolados desta forma, conectados ao circuito.., dá para acreditar? Já vimos de tudo por aqui, mas ainda somos surpreendidos por algumas gambiarras inacreditáveis como esta. Ficamos extremamente chateados ao ver o tratamento que aparelhos que deveriam ser o estado da arte em amplificação sonora recebem... acabam ficando com gambiarras muito piores que aquelas achadas em radinhos chineses de 5 reais.


Capacitores pendurados e amarrados pelos terminais

Estes capacitores pendurados não apenas representam um sério problema á qualidade eletrônica da fonte, mas representam também um sério risco à segurança do proprietário. Estes capacitores alcançam tensões de mais de 300V em seus terminais! Se porventura estes componente esbarrassem no chassi de metal (que neste caso não possuía aterramento, como mencionamos antes), deixaria presente um potencial de mais de 300V, algo LETAL ao proprietário, que facilmente poderia sofrer um acidente fatal se tocasse no Pré. Nunca antes havíamos recebido um aparelho em tão mal estado em termos de segurança de funcionamento.

Aos nossos clientes e leitores, deixamos um aviso: se você tem alguma dúvida se é seguro ou não usar seu equipamento, não o utilize. Sua vida vale muito mais que qualquer aparelho. Falamos sério, o achado acima é GRAVÍSSIMO!!

Ficamos nos perguntando porque quem reparou este pré antes de nós removeu o aterramento do chassi, e só pudemos concluir que foi na tentativa de evitar que um curto ocorresse se o chassi entrasse em contato com os terminais dos componentes pendurados. Infelizmente, se foi esse o motivo, remover o aterramento só piorou as consequências de um curto: ao invés de danificar o equipamento, sem o aterramento, um curto deixaria o chassi em potencial letal, causando uma armadilha mortal ao proprietário. Isso aqui só pode ter sido fruto de uma pessoa ABSURDAMENTE INEXPERIENTE.

Em sequência, continuamos nossa análise visual. De cara encontramos também um fio solto, mais uma vez, um fio carregando um potencial de mais de 300V, totalmente 'a deriva' e sem isolamento na ponta. Mais uma vez, risco letal ao proprietário.

Fio solto no interior do aparelho

A fonte sem aterramento estava causando ruído de fundo no áudio. O proprietário conseguiu identificar isso e enrolou um fio de aterramento em dois parafusos, um em cada chassi, fornecendo o aterramento que faltava. Ao abrirmos a fonte, imediatamente confirmamos que alguém removeu o aterramento da fonte. Não havia nada conectado ao parafuso de aterramento:


Parafuso de aterramento inutilizado

Continuando nossa inspeção, percebemos mais um conjunto de capacitores soltos e apenas com seus terminais enrolados com fios, na placa de baixo. Este pré usa uma fonte dupla, separada para cada canal. A gambiarra foi feita de maneira idêntica na fonte do outro canal. Mais um risco de choque letal ao proprietário!! Neste estágio, a chance de algo ter dado muito errado durante o uso deste pré já era altíssima...

Mais capacitores flutuantes em outra placa

Depois de passado o susto destes achados inacreditáveis, prosseguimos com nossa análise de defeitos. Encontramos muitos fios chamuscados e mal soldados às placas. Quem trabalhou aqui antes realmente não tinha nem mesmo habilidade com solda.

Fios chamuscados e danificados

Além disso, encontramos também uma quantidade de fios 'sobrando', com um comprimento desnecessariamente grande. Não é um defeito, mas demonstra uma falta de cuidado e desleixo. Fica muito feito deixar um monte de fio solto a toa em um aparelho...

Fios de cumprimento inadequado e desorganizados

Fios chamuscados e mal soldados

Revestimento de fio encontrado solto dentro do aparelho

Mais fios de comprimento exagerado

Feita a inspeção visual da fonte, prosseguimos para uma análise visual do chassi de áudio. Por sorte, o estado deste chassi não era tão ruim quanto o da fonte. Apesar de algumas modificações em relação ao esquema original, tudo parecia em ordem. Como estávamos ainda no estágio da inspeção visual, nada foi feito.

Reparos


Encontrados defeitos visuais tão óbvios, antes mesmo de orçarmos a revisão, tivemos de executar alguns reparos preliminares. Não seria possível tentar ligar o aparelho no estado que estava, por motivos óbvios.

Feitos estes reparos preliminares, que forneciam um mínimo de segurança para que o pré fosse operado, prosseguimos a um avaliação mais profunda dos defeitos, orçamos a revisão e obtivemos a aprovação do proprietário. Hora de deixar tudo novo de novo :)

O primeiro defeito encontrado é que um dos canais não apresentava tensão de B+ adequada.

Tensão de B+ baixíssima

Uma análise evidenciou falha em uma das válvulas de fonte, que foi trocada.

Troca das válvulas de fonte

Em seguida, todos os defeitos relatados na fase de inspeção visual foram devidamente reparados. A fonte ficou como nova, em perfeitíssimo estado e com a fiação super organizada, como gostamos!

Fonte terminada

Terminada a fonte, focamos nos reparos do chassi de áudio. Neste aqui existiam também fios mal soldados, mas o principal problema era uma modificação feita anteriormente, e muito mal planejada!

Encontramos no chassi de áudio 4 capacitores eletrolíticos nacionais, que foram adicionados como um 'upgrade' em algum reparo anterior. 

Capacitor adicionado ao circuito

A adição do capacitor por si só não é um erro... o problema é que quem fez isso, mais que dobrou a capacitância total no primeiro estágio de remoção de ripple! O que isso significa? Que quando o pré é ligado, um ENORME pico de corrente é demandado da fonte, causando desgaste desnecessário e eventual falha nos componentes de fonte. Quem fez essa modificação, claramente não considerou este aspecto, seguindo apenas um conhecimento popular (e incorreto) que circula por aí, de que quanto mais capacitância, melhor. Já ouvi isso antes, o que demonstra claramente que falta formação teórica de alguns profissionais.

Optamos por manter dois dos capacitores eletrolíticos e remover dois deles. Foram mantidos os dois que aumentavam a capacitância do segundo estágio, mas os capacitores de primeiro estágio adicionados foram removidos a fim de evitar picos excessivos de corrente.

Feitos todos os reparos, o chassi de áudio também estava pronto!

Chassi de áudio terminado

Tudo terminado!! Prosseguimos então a nossa audição de 08h, a fim de garantir que tudo estava funcionando bem e de maneira estável. Reparos concluídos!

Conjunto terminado


Tudo pronto! Prés embalados com todo o cuidado e enviados de volta a Brasília! Nosso cliente ficou satisfeito e nós também é claro!!

Happy Listening :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário