segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

Receiver valvulado topo de linha: Scott 399

Primeiramente bem vindos a mais uma restauração da Regence Audio! Espero que todos estejam bem e se cuidando durante esta época de pandemia e gripe.

Hoje vamos restaurar um belíssimo receiver vintage, um Scott 399 100% valvulado!



O Scott 399 foi o receiver topo de linha da Scott, lançado em 1960. Era extremamente 'avançado' para a época, por possuir sintonizador AM e FM integrados, além de entradas de pré de phono, linha, gravadores de rolo, além de inúmeras funções de seleção entre entradas e controles de tonalidade. Este aparelho utiliza as raras e belíssimas válvulas 7189, que são versões robustas e militares das EL84, produzindo 18W de potência por canal em 8 Ohms e pesando mais de 20Kg com seu gabinete. 

O equipamento chegou até nós em estado desconhecido pela proprietária. O mesmo pertencia a seu pai, já falecido, e ficou parado por pelo menos 30 anos sem uso, guardado em um armário. Só recentemente ele foi 'encontrado' e despertou na proprietária o interesse de trazê-lo de volta a seu funcionamento para ser incorporado em uma nova residência que a mesma estava construindo, na qual sua arquiteta iria incorporar itens vintages ao projeto moderno em um mesmo ambiente. Todo áudio deste ambiente seria reproduzido por este Scott, que seria uma peça de destaque na sala.

Quando recebemos equipamentos em estado imaculado de preservação, mas que ficaram parados por muitos anos, todo processo de restauro começa com a tentativa de reformar cada seção de cada capacitor manualmente por pelo menos 3 dias cada. Como estamos falando aqui de um total de mais de 25 seções de capacitores, o processo é demoradíssimo, mas garante uma maior originalidade ao fim do processo.


Capacitores multi-seção e de seção única ainda originais do receiver

O processo de restauro destes capacitores eletrolíticos consiste em primeiramente dessoldar todas conexões a eles, deixando-os isolados do circuito interno. Cada seção é então conectada a uma Ponte LCR da Keysight e analisada por capacitância, fuga, fator Q, dentro outros parâmetros técnicos. No caso deste receiver, que ficou parado por muito tempo, NENHUM dos capacitores estava dentro das especificações. Na verdade, estavam totalmente fora das especificações e teriam de passar por longa reforma.
O processo de reforma consiste em conectarmos cada seção a um equipamento específico de reforma de eletrólitos, o qual gradativamente aplica tensão aos capacitores enquanto monitora a corrente de fuga e a temperatura dos mesmos. Este processo é iniciado e reiniciado várias vezes durante os dias de reforma, ao final do qual o capacitor estará novamente em perfeito estado de uso. Vale lembrar que nem sempre é possível reformar um capacitor: algumas vezes, os mesmo estão com seus eletrólitos internos totalmente secos e não mais funcionarão, tendo de ser substituídos.

Finalizada a etapa de restauro dos capacitores eletrolíticos, o segundo passo foi realizar a medição e consequente troca dos capacitores de acoplamento, visto que os mesmo estavam totalmente fora de tolerância (lembrando que capacitores de acoplamento não são passíveis de reforma).


Capacitores de acoplamento novos instalados

Optamos por usar neste belo receiver capacitores de acoplamento alemães, produzidos pela EROS, os quais temos a venda em nossa loja virtual neste link.

Em seguida testamos as válvulas uma a uma. Infelizmente, uma das raras válvulas de saída 7189 estava em curto e tivemos então de substituir todas as 4 válvulas por um novo quarteto casado. Por sorte, tínhamos em estoque quartetos NOS desta rara válvula e não foi necessária importação, o que agilizou o reparo do aparelho.

Por fim, antes de ligarmos o receiver pela primeira vez, efetuamos a troca do retificador de selênio por um de silício.


O novo e o antigo retificador


Uma rápida medição em bancada revelou que o controle de volume estava extremamente ruidoso, e o mesmo foi desmontado para limpeza.



Potenciômetro de volume

Agora é hora de ligar o receiver pela primeira vez e realizarmos testes preliminares com um Analisador de Áudio. O vídeo abaixo ilustra esta etapa, onde é usado um analisador Agilent 8903B, um Analisador de Espectro HP 3582A, e um computador, que receberá os gráficos resultantes das análises por USB. Todo o processo é automatizado graças ao uso destes equipamentos, que já realizam toda a análise  e traçam o gráfico final de resposta em frequência na tela do computador.





A foto abaixo ilustra a ENORME COMPLEXIDADE do circuito dentro do equipamento... não é um aparelho para ser reparado por amadores ou curiosos!


Scott 399 por dentro

É isso pessoal, o aparelho ficou PERFEITO! Mantivemos o mesmo em testes por alguns dias, como pode ser visto no vídeo abaixo, e então o equipamento foi enviado de volta para sua proprietária em São Paulo, onde o mesmo terá muitos anos de vida com saúde!




Obrigado a todos que acompanham nosso trabalho e um excelente 2022 a todos!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário